sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Review - A Menina que Roubava Livros



Título: A Menina que Roubava Livros
Autor: Markus Zusak
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance
Preço: 39,90 [31,92 / + Cultura] (Livraria Cultura)






Por que li esse livro?
Ignorei esse livro por muito tempo pelo simples fato de todos comentarem sobre ele, mas agora decidi deixar a criancice de lado.






Sinopse
Entre 1939 e 1943, Liesel Meminger encontrou a morte três vezes. E saiu suficientemente viva das três ocasiões para que a própria, de tão impressionada, decidisse nos contar sua história, em 'A menina que roubava livros'. Desde o início da vida de Liesel na rua Himmel, numa área pobre de Molching, cidade próxima a Munique, ela precisou achar formas de se convencer do sentido de sua existência. Horas depois de ver seu irmão morrer no colo da mãe, a menina foi largada para sempre aos cuidados de Hans e Rosa Hubermann, um pintor desempregado e uma dona-de-casa rabugenta. Ao entrar na nova casa, trazia escondido na mala um livro, 'O manual do coveiro'. Num momento de distração, o rapaz que enterrara seu irmão o deixara cair na neve. Foi o primeiro dos vários livros que Liesel roubaria ao longo dos quatro anos seguintes. E foram esses livros que nortearam a vida de Liesel naquele tempo, quando a Alemanha era transformada diariamente pela guerra, dando trabalho dobrado à Morte. O gosto de roubá-los deu à menina uma alcunha e uma ocupação; a sede de conhecimento deu-lhe um propósito. E as palavras que Liesel encontrou em suas páginas e destacou delas seriam mais tarde aplicadas ao contexto da sua própria vida, sempre com a assistência de Hans, acordeonista amador e amável, e Max Vanderburg, o judeu do porão, o amigo quase invisível de quem ela prometera jamais falar. Há outros personagens fundamentais na história de Liesel, como Rudy Steiner, seu melhor amigo e o namorado que ela nunca teve, ou a mulher do prefeito, sua melhor amiga que ela demorou a perceber como tal. (sinopse retirada do site da livraria cultura)






Minha Opinião
Logo que comecei a ler o que mais me chamou a atenção foi o narrador da história, a morte, e como ela se sensibilizava e, por vezes, ironizava os infortúnios pelos quais a personagem principal passava. Liesel tinha no roubo de livros seus momentos de paz e realização, e através das palavras ela era capaz de acalmar a si mesma e aqueles ao redor dela.
Zusak deu um golpe de mestre ao escrever a história dessa simpática menina através da morte, pois assim ele conseguiu um narrador onisciente e bem divertido, sem contar que em diversos pontos da história, a morte nos dá relances do que irá acontecer, o que só servia para aumentar minha curiosidade, além das inúmeras intromissões que ela fazia, seja com uma pergunta e sua respectiva resposta ou uma história sobre um personagem, explicando o porquê das ações cometidas.
O livro é cheio de metáforas envolvendo cores, e citações mórbidas a respeito da guerra e da visa em geral, cortesia de uma narradora bem incomum. A Menina que Roubava Livros é muito bem escrito, divertido e triste em algumas partes, o enredo flui de uma maneira bem suave e natural, porém, devo admitir que se não fosse pelo final, extremamente emocionante e de certa forma um pouco adiantado graças à morte, o livro não teria possuído tanto significado para mim.






No final das contas
Markus Zusak ao escrever A Menina que Roubava Livros nos deu um daqueles romances que simplesmente merece ser lido; uma história mesclada de tristezas e felicidades singelas, tornando esse livro puramente belo.












Beijos,


8 comentários:

  1. Livro tão bom! Tão tocante! Tão bem escrito!
    Amei!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Esse livro ganhou meu respeito só pela frase "Quando a morte conta uma história, você deve parar para ler" Sério! O livro inteiro se provou perfeito.

    Beijocas,
    Guta
    Murphy's Library

    ResponderExcluir
  3. "Ignorei esse livro por muito tempo pelo simples fato de todos comentarem sobre ele"
    Isso aconteceu comigo ^^'

    ResponderExcluir
  4. Eu adorei o livro, achei realmente muito bom. muito dramático também UAHSUAHSUA adorei a resenha.

    Beijos, Vanessa
    This Adorable Thing

    ResponderExcluir
  5. Não esperava muito de "A menina que roubava livros" tamnbém. Mais um best-seller da lista da Veja, como tantos que não nos apresentam nada além de fórmulas prontas.

    Felizmente, estava enganada. É um livro que, entre momentos de tristeza e outros de singela beleza, nos dá o que pensar após a leitura.

    Rudy e Lise entraram no meu rol de personagens memoráveis. E a morte é uma narradora ímpar ;)

    :*,
    Léka

    ResponderExcluir
  6. Olá! Deixei alguns selinho pra você lá no meu blog.
    B-jus
    http://falarsobrearte.blogspot.com/2011/02/selinhos.html

    ResponderExcluir
  7. Os adultos vivem dizendo que a adolescência é um dos periodos mais marcantes da vida. Mais o que o adolescente pensa disso?

    Visita meu blog?

    http://blogdeumagarotaadolescente.blogspot.com/

    Se gostar do meu blog, segue lá ficarei muiito feliz.
    Beijos e desde já obrigada, Atenciosamente Tainã Almeida.

    ResponderExcluir
  8. Oi moça!

    Bruno Condé falando!....To muito curioso pra ler esse livro...ainda mais depois da sua resenha!
    to seguindo já...excelente blog!

    Parabéns!

    bjos

    www.estantedoconde.com

    ResponderExcluir